Alimentação dos Pets

Cuidados com a alimentação dos pets

A alimentação dos pets deve ser um tema de nossa máxima atenção. Afinal, o que eles comem garante que estejam saudáveis e bonitos. Além de contribuir com a higiene doméstica.

Hoje, vamos conhecer uma série de cuidados que devemos ter com a alimentação dos pets. De escolha da ração ao que pode ou não pode, você tem tudo aqui.

Vamos juntos?

Adequando a alimentação dos pets às suas necessidades

Nós, seres humanos, somos conscientes de nossas necessidades. Mesmo crianças podem aprender que doces em excesso são ruins, e que o sal afeta nossa saúde.

Já os pets não têm essa capacidade. Cabe a nós, seus amantes, garantirmos que nossos bichinhos tenham suas necessidades atendidas.

Por isso, o primeiro cuidado com a alimentação dos pets repousa na atenção e pesquisa.

Seu pet está muito magro? Ou gordinho demais? É bebê ou já idoso? Possui alguma doença congênita? Como estão suas fezes? E a urina?

Todos esses pontos devem ser observados com frequência. Especialmente os excrementos. Eles indicam a condição de saúde do nosso pet, dando-nos oportunidade de agir.

Por tal, busque sempre conhecer todas as alternativas. Consultar o veterinário ou nutricionista de pets pode, também, ser uma boa opção.

A ração como base da alimentação dos pets

Com nossa vida corrida, acabamos muitas vezes recorrendo às rações, secas ou úmidas. E isso não é de todo mal.

Vale saber que um alimento processado nunca será tão saudável quanto um caseiro. Tampouco se equiparará à alimentação dos pets na natureza.

Há, também, uma verdade inconveniente, que não pode ser esquecida: rações “baratas”, de má qualidade, possuem mais chance de acarretar em doenças ou, até, morte do pet.

Sobre rações, falemos especificamente o que considerar na hora da decisão. A divisão será por tipo mais comum de pets, tudo bem? Sigamos.

Escolhendo a ração para cães

Quando se tem cachorro, há infinitas opções de ração. A alimentação de pets é tratada muito a sério por algumas empresas. Porém isso resulta em preços elevados e muitas vezes dificulta o acesso a uma boa ração.

Contudo temos que saber ser assim mesmo. Não compraríamos comida de má qualidade para nós. Então, por que faremos esse tipo de “economia”, quando o assunto é alimentação dos pets?

Tipos de ração por fase de vida

Na prática, a escolha deve começar baseada na fase da vida do cão. Se é novinho, com menos de dezoito meses, adulto ou idoso.

No primeiro caso, a ração deve ser específica para filhotes. A partir dos doze meses, já se pode fazer a transição gradual para ração de adultos. Todavia tenha calma e respeite seu bichinho.

A ração para filhotes, além de possuir grãos menores, tem composição diferente. Ela é mais rica em carboidratos e proteínas.

E pode parecer tentador oferece-la para nossos pets adultos. Porém isso pode resultar em obesidade ou hipernutrição, que pode até mata-lo.

Se seu pet já é adulto, deve comer a ração específica para esta fase. A mudança só deverá acontecer quando estiver velhinho. Ali, opte por fórmulas “sênior”, feitas sob medida.

Rações sênior são importantíssimas. Elas garantem que o velhinho receba só e tanto quanto necessita para seguir saudável.

Contar com o veterinário evita muitas dores de cabeça. Especialmente quando uma dieta especial faz-se necessária.

No mais, estando saudáveis, fique à vontade para escolher a alimentação dos pets de sua preferência. Contanto que de acordo à idade, tudo bem?

Rações rotuladas na alimentação dos pets

O que chamo, aqui, de rótulo é a categoria comercial da ração. Há rações comuns, especiais, premium, premium especiais e afins.

Tratam-se de agrupamentos realizados pelo próprio fabricante. O rótulo é atribuído com base na composição daquela ração. Maior preocupação com a saúde, mais especial ela é.

Entre os principais diferenciadores, temos que apontar:

  • Sódio: reduzido em rações Super Premium em relação a rações básicas;
  • Corante caramelo: um verdadeiro veneno da indústria alimentícia, o corante caramelo não consta na receita de algumas das melhores — e mais caras — rações;
  • Soja: rações top de linha não possuem ou possuem menos adição de soja transgênica;
  • Proteína animal: possuindo menos soja, rações ótimas possuem a proteína de sua composição retirada de carnes, ossos e tecidos animais;
  • Carboidratos: rações mais básicas oferecem menor proporção proteína/carboidrato. Com isso, o cão precisa comer mais, e a alimentação dos pets fica empobrecida.

Entretanto não confie tanto assim no fabricante. Você encontrará rações ditas “premium especial” com valores alimentícios muito inferiores ao esperado.

Atente-se sempre à tabela nutricional. Busque, também, conversar com outros tratadores e veterinários.

É possível, sim, que a alimentação dos pets seja ótima sem precisar gastar horrores. Mas fuja de rações muito baratas, insuficientes para nutrir seu bicho de estimação.

Marcas específicas para determinados portes

Outra diversificação muito comum diz respeito ao porte ou, mesmo, raça do pet. Elas buscam que a alimentação dos pets vá de acordo ao que necessitam comumente.

Animais de pequeno porte, no geral, possuem tendências e necessidades diferentes de outros. Sendo a maioria do tipo “toy”, têm vidas mais sedentárias, por exemplo.

Quanto a rações específicas para raças, podem ser interessantes. Isso porque cada raça possui determinações biológicas as quais agridem a saúde do seu pet.

A alimentação dos pets, quando pensando nisso, pode evitar doenças comuns como catarata, displasia e perda de pelos.

Rações para cães “indoor”

É possível, também, encontrar rações específicas para animais que vivem dentro de casa. Elas buscam maior saúde dos pelos e redução dos odores do excremento.

Contudo mantenha sempre atenção à tabela nutricional e à estrutura das fezes. Pouco importa estarem com menos cheiro se não estiverem saudáveis.

Lembre-se: as fezes são um indicador magnífico da saúde dos nossos amigos. A alimentação dos pets deve, em primeiro lugar, prezar por essa saúde.

Trocando a ração do seu doguinho

Eventualmente, temos que trocar de uma marca para outra por N motivos. De mudança da receita a desgosto do animal, eventualmente precisamos fazer essa substituição.

Porém o que é mais importante, neste momento, é saber como fazê-lo.

Primeiramente, muda-se a ração sempre para uma melhor. Isso não significa que deva ser mais cara. Mas não podemos jamais piorar a alimentação dos pets.

Outro fator importante é a gradualidade da mudança. Não se dá a ração X hoje e, amanhã, a ração Y.

Quem o faz, desregula a flora intestinal do cãozinho, sua imunidade, fazendo com que adoeça. Diarreias são graves indicadores do perigo de mudar a ração de uma vez.

Quando notar que possui menos de 5kg disponíveis da ração atual, compre a nova e comece a mesclar as duas.

De início, dê mais ração da atual e apenas um pouco da nova. Suba a cada tantos dias, e só no fim, dê apenas a nova ração.

Ainda assim, acompanhe a saúde dos pelos, olhos e o estado das fezes. Havendo má recepção pelo organismo, interrompa a nova marca e procure um veterinário imediatamente.

Conhecendo as rações para gatos

Alimentação dos Pets

Quanto o tema é ração para gatos, a alimentação dos pets é um tanto mais simples.

Gatos, em sua maioria, lidam bem com todo tipo de ração. Especialmente se forem resgatados.

Contudo é importante estar atento às diferenças e variedades ofertadas pelo mercado. A primeira diz respeito ao estado da ração: se seca ou úmida.

Não há grandes diferenças nutricionais. Apenas ocorre maior predileção, por parte dos gatos, pelos patês e sachês.

Quanto às fases da vida, rótulos e afins, a lógica é idêntica à dos cães. Rações premium para felinos possuem mais proteína, menos sódio e mais taurina.

A única grande questão, na alimentação dos pets, repousa em sua condição sexual: gatos castrados não podem, sob nenhuma circunstância, comer qualquer ração.

O que ocorre, aqui, é a histerectomia, ligação ou vasectomia mexem muito com o metabolismo felino.

Um gato castrado torna-se mais apático, menos ativo e, consequentemente, mais gordo e preguiçoso. Garfield, com toda certeza, passou por uma castração.

Assim, se seu gato ou gato é castrado, só administre rações específicas. E isso deve perdurar por toda sua vida.

Rações para gatos castrados possuem menos gorduras, menos sódio e carboidratos. Assim, evita-se a obesidade felina e uma série de complicações renais.

Porém atenção: nem dê ração normal para gatos castrados, tampouco o inverso. Gatos sexualmente ativos sofrerão anemia se a alimentação dos pets for suprimida.

Rações para aves e peixes

Aves e peixes merecem um tantinho de espaço em nossa conversa sobre alimentação dos pets. Afinal, eles estão sempre presentes em nossas casas, e merecem nosso carinho.

Nestes casos, a grande atenção deve voltar-se à especificidade da ração. Cada espécie, em particular, possui uma alimentação específica.

Desrespeitar essa obrigação pode — e vai — comprometer a vida dos bichinhos.

Falando de peixes, a ração é sempre seca e específica para cada espécie. Até por isso é importante possuir um aquário sem misturas muito significativas.

Kinguios e paulistinhas convivem bem, mas o kinguio deve ser priorizado. Isso porque o paulistinha é mais tolerante.

As quantidades devem ser mínimas, senão ínfimas. Peixes superalimentados podem morrer. Além disso, a comida ignorada afunda, sujando o aquário.

No caso de pássaros, a alimentação dos pets jamais será unicamente com ração. Porém é importante conhecer a espécie e que tipo de ração é ideal.

Criadores serão ótimos guias, nesta tarefa. Aves são sempre muito sensíveis, e demandam atenção especial.

Alternativas para a ração industrial na alimentação dos pets

Nem só de ração viverá um pet. Há, até, aqueles que jamais comeram nem nunca comerão ração industrial.

Por isso, é possível trabalhar com alternativas para a ração industrial. Elas agridem menos a saúde e oferecem variedades magníficas para a alimentação dos pets.

A primeira forma é a alimentação mista. Ela trabalha a ração em conjunto com alimentos cozidos, frutas, legumes e grãos.

Porém, por ser um tema delicado, você poderá conhece-la em nossa matéria sobre alimentação mista. Garanto que você irá adorar a ideia, se tem pouco tempo livre.

Lá, darei recomendações e apontarei proibições. O foco será cães e gatos, tudo bem?

Porém, para quem pode arcar com custos mais altos e dispõe do tempo: tenho, ainda, mais o que oferecer.

Na matéria sobre alimentação caseira para cães, explicarei tudo que você precisa sobre comida de panela para seu dog do coração.

Tenho certeza que seu cão adorará comer uma comidinha gostosa. E melhor: preparada com o tempero de seu amor por ele.

Ficamos por aqui

Por tudo isso, não deixe de estar conosco. Visite as matérias de sequência e volte sempre que precisar.

Se quiser nos contar sua experiência ou tirar dúvidas, basta usar os comentários. Nós amamos os animais, e será um prazer enorme dividir esse trabalho com você.

Compartilhe-nos com os contatos de suas redes sociais. Vamos espalhar o amor por nossos bichinhos.

Volte sempre, pet lover. Espero por você, aqui, em breve.

Até mais!  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *