Castração de Cachorro

Castração de cachorro: procedimento, internação e cuidados

A castração de cachorro é um tema pouco debatido, mas muito importante para a saúde dos pets.

Entrando na questão do abandono e cães de rua, é o melhor método de redução das crias sem lar. Torna-se desnecessário dizer como é maravilhoso poupar filhotinhos do sofrimento da vida nas ruas.

Porém a castração pode ser interessante mesmo para cães adotados, que já possuem uma família. Basta pesar os prós e contras, contando sempre com a ajuda do veterinário.

Hoje, levantaremos esta bola com você. E, espero, sua percepção desta prática mudará drasticamente.

Você vem comigo? Espero que sim!

O que é a castração de cachorro

Castração de cachorro

A castração de cachorro é um procedimento veterinário que interrompe o ciclo reprodutivo dos cães. Desse modo, ninhadas são evitadas, e o estresse do cio desaparece.

Do ponto de vista social, a castração é um ato de amor a todos os animais. Porque nada é tão triste quanto ver animais solitários, lutando pela vida nas sacolinhas de lixo da rua.

Obviamente, animais com reprodução planejada não se beneficiariam da prática. Mas a castração de cachorro busca contemplar os outros cenários do mundo.

Assim, para evitar ninhadas indesejadas e poupar a saúde do seu amigão, a castração de cachorro pode ser um caminho excelente. Basta pensa-la com responsabilidade.

A castração de cachorro enquanto política pública

Da maior à menor cidade do país, todas sofrem com o abandono animal. Adoções irresponsáveis, cães tratados como brinquedos… Há um sem fim de razões para isso.

Ainda, muitos são os cães que nasceram e vivem toda a sua vida sozinhos, sem um família. Se férteis, logo nos primeiros cios, mais e mais filhotinhos surgem a cada temporada.

Destes, boa parte tem um fim infeliz. Quando não adquirem uma zoonose letal, padecem fome, sede e toda sorte de sofrimento, nas ruas.

Por isso é muito prudente dizer que não existe política pública que ignore a castração de cachorro. Se orientada à redução do sofrimento dos animaizinhos, a castração será pilar.

Alguns países já trabalham com a catalogação de animais dóceis. Cuba, por exemplo, desenvolve um trabalho de acompanhamento responsável dos animais de rua.

Castrados, vacinados e identificados, eles são acolhidos em prédios públicos. Neles, recebem alimento, água, abrigo e até carinho. Viram defensores das instituições que o acolhem.

Todavia o Brasil ainda patina nesta questão. Poucos são os animais de rua resgatados e tratados. Ainda, dos que o são, pouquíssimos são adotados.

Afinal, ainda estamos presos à cruel realidade do comércio. E embora adotar e não comprar seja a maior prova de amor, falamos de um fato raríssimo.

Por isso, se dispõe de tempo e meios para tal, proponha o recolhimento e tratamento dos cães de sua cidade. Mesmo se devolvidos para as ruas, seu sofrimento será encolhido.

A urgência pela reprodução

Mesmo estando domesticados há milhares de anos, os cães ainda preservam seus instintos. E, dentre eles, um dos mais fortes e agressivos é o da reprodução.

Um animal fértil, mesmo doméstico, gasta muito de seu tempo e forças na ânsia por procriar. Ora, faz parte de seu ciclo biológico. É uma moção natural fortíssima!

E, mesmo sendo menos livres que os gatos, acidentes acontecem. Um portão aberto, uma guia que estoura… Numa dessas, uma cruza indesejada pode resultar em gestação. E o que fazer?

Justamente por isso, mesmo em cães adotados, recomenda-se a castração como prevenção. Isso sem mencionar os benefícios à saúde, indicados por muitos especialistas.

Dentre os principais, a redução do câncer mostra-se de grande eficiência. Afinal, animais férteis que nunca cruzam tendem a desenvolver problemas nos órgãos reprodutores.

Desse modo, a castração de cachorro poupa fêmeas de complicações nas mamas, útero e ovários. Já nos machos, tende a reduzir riscos de inflamações de testículos e a própria doença.

Além disso, há o aspecto sanitário da fertilidade. Machos férteis buscarão sanar suas necessidades em almofadas e outros itens da casa.

No caso das fêmeas, a fertilidade resulta nos processos completos de cio. Sangramento é o mais caótico, seguido de perto pelo estresse e abandono da alimentação.

Ressalto, com isso, que a castração de cachorro elimina estes aspectos comportamentais. Mesmo a agressividade dos machos pode ser combatida com a prática.

Como funciona?

Como funciona a castração e cachorro

A castração de cachorro é um procedimento cirúrgico. Embora simples, traz consigo riscos e uma série de questões. Todos devem ser tratados com frieza e planejamento.

Falamos bastante disso em nossa matéria sobre vantagens e desvantagens da castração. Peço encarecidamente que, havendo interesse no procedimento, leia o texto que publicamos.

Em poucas linhas, a castração de cachorro é fundamentalmente igual à castração de gato. O animal é sedado e, no centro cirúrgico, passa pela remoção de seus órgãos reprodutivos.

O procedimento é limpo e, geralmente, muito tranquilo. Basta que, antes dele, garanta-se que a saúde do amigão está em dia. Especialmente a cardíaca e renal, tudo bem?

Assim, é inegociável realizar uma bateria de exames antes de qualquer coisa. Seu veterinário, com toda certeza, guiará você nesta etapa.

É importante sempre se lembrar que, antes da cirurgia, jejum é obrigatório. Em média, contam-se doze horas sem água ou alimento. O objetivo é garantir desopilação absoluta.

Quanto a tempo, a castração de cachorro é bastante rápida. Não havendo qualquer complicação, minutos são suficientes para a cirurgia.

A maior ocupação dá-se no pós-operatório, que deve ser cumprido à risca, religiosamente.

O pós-operatório

Pós operatório - castração de cachorro

Sendo procedimento invasivo, por remover órgãos, a castração de cachorro nos exige bastante. Remédios precisam ser administrados nas horas exatas.

Ainda, deve-se garantir que o animal, em hipótese alguma, acesse a área suturada. Evisceração e infecções são riscos graves por, no mínimo, uma semana.

E tudo fica mais complicado na castração de fêmeas, pela extensão do corte.

Porém, com amor, carinho e muita atenção, tudo ocorre bastante bem. O animal sendo mantido em casa, tranquilo e sem realizar esforços, a recuperação é ágil e pacífica.

Enfim, a decisão cabe única e exclusivamente a você. No entanto atente-se sempre aos conselhos de seu veterinário. Ninguém, melhor do que ele, indicará o melhor a se fazer.

Amor é cuidado. Por isso, opte sempre pelo melhor para seu amigão ou amiguinho. Pode apostar: ele não poupará esforços em agradecer a você.

Foi magnífico conversar contigo sobre este tema. Com responsabilidade, a confiança de seu pet em você trará excelentes frutos.

Até a próxima, pet lover!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *