Início » Gato espirrando: causas e prevenções para esse sintoma

Gato espirrando: causas e prevenções para esse sintoma

O gato espirrando pode ser um dos sinais de várias doenças que precisam de tratamento.

Por isso, não perca tempo e leve o bichano ao veterinário quando surgirem esses os sintomas. Além disso, veja algumas dicas de como manter seu conforto durante esse momento.

Problemas com gato espirrando

Apesar de ser um ato natural do corpo, quando acontece com muita frequência, requer atenção.

Por isso, fique alerta a outros sintomas que o animal pode apresentar nesse momento, por exemplo:

  • Febre;
  • Vômito;
  • Catarro;
  • Apatia;
  • Perda de apetite e peso;
  • Tosse;
  • Olhos vermelhos ou com lágrimas.

São diversas causas que podem até significar uma doença mais séria. Portanto, o ideal é procurar um veterinário se perceber que algo está errado.

Porque, as orientações ajudam a cuidar do pet do jeito certo e com mais eficiência.

O que esse sintoma pode indicar

O gato espirrando pode sinalizar que ele esteja com alguma doença. Nesses casos pode ser algo bem leve ou até mesmo graves como:

  • Alergia;
  • Gripe felina;
  • Infecções virais ou bacterianas;
  • Problemas dentários.

Por isso é indispensável a visita ao médico veterinário de sua confiança.

Somente um profissional qualificado e amparado por exames complementares pode oferecer um diagnóstico preciso, assim como o tratamento específico para o seu pet.

Saiba mais sobre essas doenças

A gripe dos gatos é quase igual à dos humanos, a sua causa é o vírus herpesvírus felino do tipo 1.

Dessa forma, os sintomas são problemas respiratórios e pode ser pior no inverno.

Embora pareça algo simples, fique atento pois o agravamento depende do sistema imune e da saúde do animal.

Na infecção com bactérias, têm algo que se chama Clamídia Ocular. Então, fora os espirros, causa secreções nos olhos, como se fosse uma conjuntivite.

Por isso, em casos graves, pode causar lesões sérias e fazer o animal tossir.

Como cuidar do gato espirrando

Varia de acordo com o diagnóstico dado pelo veterinário, que mede a situação com exames.

Mas, muitos se recusam a comer por conta do estado ruim e isso é uma preocupação para o dono.

Uma dica é passar um pouco de patê na pata da frente. Já que, por ser muito limpo, eles costumam se lamber sempre que estão sujos.

Então, isso pode ajudar a fazer o gato comer e diminuir os riscos da falta de alimentação.

O indicado é que a comida seja macia e úmida, com as vitaminas certas para recuperar sua imunidade.

Assim, procure oferecer mais vezes porque ele pode querer não sair do lugar. Principalmente, tente manter o animal hidratado, indicando a água para ele sempre.

Cuidado com a desidratação

Mantenha o gato espirrando hidratado

Por conta da doença, apenas colocar líquidos ao lado do gato, pode não fazer diferença.

Mas, por ser muito importante, procure dar água em uma seringa, com alguns intervalos. Ou seja, a cada hora.

Dê preferencia a água mineral ou filtrada durante esse período para evitar mais complicações, já que o bichano está debilitado.

Monitore durante todo o tempo se o gato apresenta muito cansaço, gengivas secas e respiração ofegante.

Além disso, a diarreia e o vômito pioram o quadro, o que gera mais preocupação. Caso isso ocorra procure imediatamente o veterinário que acompanha o caso.

Importância de manter o gato confortável

É uma grande ajuda, se puder reservar um local quente e calmo para ele. Além disso, em alguns casos, o animal pode querer mais a companhia do dono.

Então, tem chances de procurar colo e carinho, a fim de se sentir mais seguro.

Apesar de gatos já dormirem por muitas horas durante o dia, essa condição pode aumentar.

Já que, ele não vai querer brincar e preferir ficar no seu cantinho. Por isso, procure mantê-lo longe de outros animais da casa, para que ele descanse até se recuperar.

Dicas de limpeza para os olhos

Gato espirrando - importância da higiene

Um gato espirrando pode ter secreções nos olhos, nariz e isso pode o deixar incomodado, ainda mais se for infecções virais.

Assim, para ajudar na higiene, use soro fisiológico para remover as impurezas. Mas, não é uma forma de tratamento e serve apenas como um breve alívio.

Tem alguns colírios próprios para esse tipo de problema, no entanto, a aplicação errada, piora o caso.

Agora essas secreções podem indicar sintomas de conjuntivite, então é importante procurar o veterinário.

Modo de aplicar

Lembre-se de usar toda a delicadeza para não assustar o animal com o toque frio. Depois, siga os seguintes passos para fazer da forma certa:

  1. Molhe um pedaço de algodão ou gaze que esteja limpo, com o soro;
  2. Comece de forma suave para não machucar os olhos;
  3. Não use força e nem aperte;
  4. Em caso de dificuldade na higiene, utilize um cotonete.

Sinais de alerta quando o gato está espirrando

O gato espirrando pode indicar uma doença chamada Rinotraqueíte Viral Felina. Ela se parece muito com um resfriado e surge mais no frio, bem como durante tempos de chuva.

A forma de contaminação é pela exposição a outros animais já infectados. Além disso, ambientes fechados acelera a transmissão entre os gatos doentes. Os sintomas mais aparentes costumam ser esses:

  • Espirros com frequência;
  • Febre;
  • Gengivite;
  • Tosse;
  • Dificuldade de respirar por conta do muco.

Para evitar ou diminuir os problemas de falta de ar, o veterinário pode indicar medicações.

Ou ainda, algum antibiótico para as outras reações ou antitérmico para febre. 👉🏾 Como saber se o gato está com febre? Descubra agora.

⚠️Não automedique o gato espirrando⚠️

O mais indicado é sempre buscar auxílio profissional, a fim de escolher aqueles que são prescritos e próprios para animais.

Porque, seu uso de forma errada, por trazer diversas complicações, como:

  • Intoxicação;
  • Alergia;
  • Gastrite;
  • Úlceras hemorrágicas;
  • Ruptura do estômago;
  • Problemas renais;
  • Morte.

A administração de cada remédio varia conforme o animal, raça e idade. Por exemplo, um medicamento para um cão, pode fazer mal ao gato.

Afinal, os felinos são muito sensíveis e têm mais tendência de ter reações contrárias.

Tome cuidado com a superdosagem, sempre seguindo o que for dito. Além disso, qualquer sintoma diferente do esperado, procure a emergência o mais rápido possível.

Então, peça por novos exames e se informe sobre alergias a alguma substância química.

Remédios para humanos

Essa prática é muito perigosa, por conta da diferença dos organismos. Aliás, as doses também são diferentes de uma pessoa para um animal.

Portanto, nunca faça isso sem orientação veterinária, para evitar complicações até mesmo fatais.

Vacinação é importante

Gato espirrando- importância da vacina

Para evitar várias doenças que deixam o gato espirrando, manter a vacinação em dia é fundamental.

Dessa forma, previne-se problemas como a raiva e outras condições que podem ser transmitida aos humanos.

Sendo assim, desde os primeiros 45 dias de vida, o animal já pode ser vacinado.

O reforço é feito todo ano e no caso da vacina antirrábica acontecem campanhas gratuitas para isso. Procure se informar sobre o assunto em sua cidade.

Encerramos assim nosso artigo, desejamos saúde e vida longa ao seu gatinho.

Se você gostou deste artigo ou tem algo a acrescentar participe nos comentários abaixo. Será um prazer falar com você.

Um abraço e até a próxima!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima