Início » Vacina para gatos: saibam quais são as principais

Vacina para gatos: saibam quais são as principais

Uma das formas mais eficazes de se evitar algumas doenças comuns em gatos é através da vacinação. Assim, é essencial entender como funciona a vacina para gatos, qual o protocolo padrão com embasamento científico e porque você deve vacinar seu gato.

É muito importante entender que a vacinação dos pets faz parte de uma estratégia de saúde coletiva. Sendo assim, a vacinação de animais é parte importante da saúde de todos.

Todos sabemos que várias das doenças que atingem humanos surgiram de microrganismos que inicialmente afetavam apenas animais, mas que sofreram mutações. É o caso, por exemplo, do coronavírus.

Dessa forma, quanto mais gatos forem vacinados, menos os microrganismos causadores de doenças vão circular, o que é melhor para a saúde de todos os pets e também dos humanos, pois reduzem as chances de ocorrerem mutações.

Mas também é importante entender que é preciso seguir um protocolo de vacinação correto para também não vacinar excessivamente os animais.

É preciso tomar cuidado com teorias da conspiração envolvendo vacinas que podem também se estender para o mundo dos pets. A vacina para gatos é essencial para garantir sua saúde. Não deixe de vacinar seu gato!

A importância das vacinas para gatos

Os animais adquirem uma imunidade quando nascem e ingerem o colostro de suas mães. Isso significa que eles recebem anticorpos que vão protegê-los contra doenças.

Porém, a imunidade passada pelo colostro não dura para sempre. É aí que entra a vacinação: conferindo aos gatos a imunidade, ou seja, o mecanismo de defesa em seu corpo contra doenças.

Uma vez vacinado, o gato fica protegido contra as principais doenças infecciosas que podem causar sérias consequências para sua saúde, inclusive, a morte.

Além disso, como dito anteriormente, a vacinação também é capaz de reduzir a proliferação de doenças e a infecção de outros gatos. 

Falando de forma simples, ao vacinar seu gato você estará o protegendo de doenças e reduzindo a disseminação de microrganismos, protegendo também outros animais de doenças. 

Além da questão citada anteriormente da possibilidade de ocorrer mutações e do surgimento de microrganismos que podem infectar humanos.

Por isso, é essencial que você vacine seu gato.

Existe “indústria da vacina”, como dizem?

Ao pesquisar o assunto, é muito fácil encontrar matérias conspiratórias sobre vacinas, muitas vezes alegando que existe uma “indústria da vacina” que só quer ter lucro. Dessa forma, as vacinas não seriam necessárias, podendo até fazer mal aos animais.

Porém, isso não é verdade! Existem inúmeros estudos científicos que comprovam a eficácia da vacina para gatos. 

As vacinas são produzidas seguindo um protocolo rígido de segurança, que são fundamentados em estudos feitos após anos de pesquisa por veterinários e cientistas.

Então, existe uma indústria de vacinas? Sim, pois alguém precisa produzir as vacinas. Essa são as empresas que desenvolvem, testam e comercializam as vacinas para gato.

E elas lucram com isso? Com certeza, pois são empresas e essas não sobrevivem sem lucro. Além disso, a produção de vacinas tem um alto custo e seria inviável fornecer o produto de graça.

Mas e as campanhas de vacinação contra raiva que são gratuitas? Bem, na realidade são gratuitas para você, mas o governo paga pelas vacinas. 

Tenha em mente que este é um dinheiro muito bem investido, pois, ao prevenir doenças no gato, além de você garantir a saúde e o bem-estar do bichano, está evitando gastos futuros com tratamentos que certamente serão muito maiores do que o custo da vacina.

Antes de aplicar vacinas para gato

Vacina para Gatos

Antes de aplicar vacina para gatos o veterinário vai avaliar o estado de saúde do bichano, pois a recomendação é que a vacina só seja aplicada em animais saudáveis.

Como é o próprio veterinário que vai definir o protocolo de vacinação, essa primeira avaliação de saúde será feita de qualquer forma, pois é essencial para levantar os riscos desse animal.

Assim, leve seu gatinho ao veterinário o quanto antes!

As opções de vacinas existentes

Quem vai decidir qual protocolo de vacina para gatos utilizar é o médico veterinário. Existem algumas variações individuais que podem levar a alterações neste protocolo. Além disso, somente o veterinário é o profissional habilitado para dar vacina para gatos.

Porém, é importante você ter uma noção de quais são as vacinas que fazem parte do protocolo básico de vacinação para gatos. Isso ajudará para que você fique preparado quando precisar vacinar seu bichano e também para entender melhor a importância de cada uma delas.

Para evitar muitas picadas, hoje trabalha-se com vacinas para gatos polivalentes. Elas imunizam contra três ou mais doenças com uma única injeção.

Tríplice — V3

A mais básica corresponde à tríplice valente, também chamada V3. Essa vacina é considerada essencial para gatos.

A V3 é responsável por imunizar os felinos para:

  • Rinotraqueíte: é muito comum em nosso país e causa alto índice de mortalidade. A doença compromete o trato respiratório e provoca úlceras, aftas, salivação e catarro.
  • Calicivirose: com sintomas parecidos aos da gripe, a doença pode ser fatal. O animal apresenta fraqueza, falta de apetite e feridas na boca e no focinho.
  • Panleucopenia: doença silenciosa, pode ser assintomática e provocar morte súbita. Esta doença provoca febre, depressão, diarreia e vômitos.

Você pode gostar do artigo: Gato espirrando: causas e prevenções para esse sintoma

Quádrupla — V4

A vacina quádrupla, por sua vez, imuniza para as três doenças que a V3 imunica e mais uma:

  • Clamidiose: apesar de ter uma baixa taxa de mortalidade, a clamidiose pode provocar grande sofrimento no animal, causando inflamação do trato respiratório e da mucosa dos olhos, podendo até levar à perda da visão.

Quíntupla — V5

Por fim, temos a V5, que imuniza contra todas as doenças anteriores e mais uma:

  • Leucemia felina: responsável pela redução drástica das defesas imunológicas. Se não tratada ou prevenida, diminui muitíssimo a expectativa de vida do felino.

No entanto, tenha em mente que a V5 só é aplicada em casos em que o veterinário considerar necessário. Geralmente, gatos com acesso à rua, a outros animais, com alto risco e em regiões com prevalência grande da doença.

Sendo assim, confie em seu julgamento profissional. E avalie sempre a saúde de seu bichinho antes das reaplicações.

Antirrábica

Uma das vacinas mais importantes é a antirrábica, que é aplicada separadamente.

Portanto, quando for vacinar seu felino, lembre-se que serão duas as injeções.

A antirrábica é responsável pela prevenção da raiva, doença muito grave e fatal, que afeta também outros animas, como cães, que também é uma zoonose, ou seja, também afeta seres humanos.

Quando começar aplicação das vacinas para gato

O filhote, quando nasce, recebe de sua mãe através do colostro os anticorpos maternos. Esses perduram por um tempo e pode afetar a efetividade das vacinas. 

Isso porque os anticorpos maternos podem neutralizar as vacinas. Com isso, a vacina para gatos não terá a mesma eficácia e seu animal estará desprotegido.

Por isso, não se recomenda vacinar gatos antes dos 45 dias de idade. A recomendação geral é de iniciar a vacina entre os 45 e 60 dias de idade. No entanto, o veterinário é quem vai definir qual o protocolo ideal para seu gato.

Mas e se você resgatou um gato adulto? Pode vaciná-lo? Sim, os gatos adultos podem ser vacinados.

Vacina para Gatos

A primeira vacinação contará com duas ou três etapas. Na primeira, o felino receberá antirrábica e uma primeira dose de polivalente.

A polivalente precisa de doses de reforço, que serão repetidas a cada duas a quatro semanas, de forma que a última dose seja com mais de 16 semanas de idade. 

Assim, o número de doses vai depender de quando o protocolo vacinal foi iniciado e qual intervalo entre as doses foi escolhido.

Após isso, o primeiro reforço deverá ser dado entre 6 e 12 meses de idade. Então, a vacina deve ser refeita a cada ano.

A vacina antirrábica precisa de reforço anual.

Para gatos adultos adotados sem que se conheça seu histórico vacinal, a recomendação é de duas doses com um intervalo de duas a quatro semanas entre elas. 

Porém, tenha em mente que essas são recomendações gerais, mas quem vai decidir o protocolo ideal de vacinação para seu gato é o médico veterinário. 

O protocolo vacinal em gatos pode variar de acordo com seu risco para doenças, tanto pelo seu estilo de vida (sai ou não na rua), como pela região em que reside.

Considerações finais

Ficou claro que a vacina para gatos é essencial para garantir a saúde do seu bichano, além de ser uma ação de saúde coletiva. 

Por isso, sempre converse com seu veterinário para saber qual o protocolo ideal no seu caso. Não fique com dúvidas, pergunte tudo o que quiser saber. O veterinário terá muito prazer em responder.

Tenha também a carteirinha de vacinação do seu pet em dia, pois essa é a melhor forma de não se perder nas datas dos reforços.

Veja também nosso artigo: O que é FIV em gatos: entenda melhor essa doença e como prevenir

Você já vacinou seus gatinhos? Comente abaixo!

Sobre o autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima