Raiva Canina

Sintomas da raiva canina: saiba como identificar a doença

A raiva canina é uma doença terrível, e merece toda nossa atenção. Incurável e intratável, um animal contaminado já coloca em risco todos à sua volta. Mesmo seres humanos!

Hoje, conversaremos sobre os principais sintomas da raiva canina. Aprendendo a reconhecer a doença em suas fases, ficamos mais seguros. E mantemos nossos amigos mais seguros, também.

A seguir, conversaremos sobre os principais vetores da doença e como se prevenir. É rápido, fácil e barato. E nem preciso dizer como é fator de grande alívio.

Vamos juntos nesta jornada?

O que é a raiva canina

A raiva é a doença resultante do contato com sangue ou mucosas de animais infectados pelo vírus.

Quando falamos de raiva canina, nos referimos à zoonose ao afetar um cão. Contudo diversos mamíferos morrem, quando em contato com esse vírus.

As principais vítimas, ao lado de cães e gatos, são silvestres. Morcegos, gambás e mesmo macacos são vetores.

A doença afeta, também, seres humanos. Sendo assim, a preocupação com o contágio é um tema importantíssimo da saúde pública.

A prevenção feita por vacinas conseguiu a quase erradicação da raiva. Porém ainda ocorrem casos, em nosso país. Só em 2018, 12 paraenses morreram de raiva entre janeiro e junho.

É de extrema importância ter cuidado com os morcegos. A contaminação dos pets pode ocorrer mesmo por contato com um de seus cadáveres.

Os tipos de raiva canina

A raiva canina manifesta-se em três tipos, de acordo com suas manifestações. A mais comum e de fácil detecção é a raiva furiosa.

Nela, o animal apresenta comportamento desequilibrado, atacando descontroladamente pessoas e outros animais. É perigosíssimo, pois a saliva transmite a raiva para as vítimas.

Há, também, salivação extrema durante o surto. Depois disso, o animal torna-se letárgico e, dias depois, morre.

O segundo tipo corresponde à raiva muda. Nela, o animal se deprime e perde o apetite. O óbito é ágil e silencioso. Daí vem seu nome.

Por fim, há a raiva intestinal, marcada por vômitos e cólicas. É raríssima, porém a morte ocorre em pouquíssimos dias.

Detectando a raiva canina pelos sintomas

A raiva canina só apresenta sintomas após o período de incubação do vírus. Após o contato com o vírus, o animal permanece bem por 3 a 6 semanas.

Sendo a mais comum, a raiva canina furiosa é fácil de ser identificada. Seus sintomas são gritantes, com a irritação e salivação extrema.

Porém é preciso ter cuidado com as outras duas formas: muda e intestinal. Seus sintomas discretos confundem-se com os de outras doenças.

Lidando com a doença

À menor suspeita de contágio, deve-se recorrer à ajuda urgente de um veterinário. Porém, quando o animal já manifesta a doença, deve-se recorrer ao Centro de Zoonoses local.

Não deixe qualquer pessoa ou animal ter contato com o suspeito de infecção. Se a saliva ou sangue contaminados entrarem em contato com mucosas ou feridas, busque ajuda.

Jamais tente controlar um animal em surto. Profissionais devem ser encarregados pela tarefa, dado o risco de contágio humano.

Se sofrer ataque de algum animal silvestre ou desconhecido, cuidado: procure um hospital especializado em infectocontagiosas, e descreva o caso.

Para evitar contato com a raiva canina, não deixe seu amigão passear sozinho por chácaras ou fazendas. Mas invista e confie em melhores práticas de prevenção.

A prevenção é o melhor — e único — remédio

Vacina - Raiva Canina

Quando o assunto é raiva canina, não há melhor alternativa que a vacinação. Dentre as vacinas para cachorro, a antirrábica deve ser prioritária.

Embora rara, ela não está extinta. O risco ronda frequentemente nossos cães e gatos.

A vacina anual protege seu animal. Mesmo que atacado por um animal infectado, ele possui grandes chances de permanecer saudável.

Contudo, ao suspeitar de contato com o vírus, leve seu cachorro ao veterinário.

A erradicação da raiva de nossas vidas é uma missão de todos nós. Portanto, vacine seu amigo. Com isso, você evita muito sofrimento e sérios riscos para você e sua família.

Esteja alerta para a campanha de vacinação gratuita de sua cidade. Mas não marque bobeira. Se faltar muito tempo, imunize seu animal por conta própria.

Fazendo isso, a raiva canina estará longe da vida do seu cão.

Volte sempre, pet lover. Foi um prazer ter você por aqui.

Até mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *