Início » Cavalo Campolina: um nobre animal que vale a pena conhecer

Cavalo Campolina: um nobre animal que vale a pena conhecer

Quando se fala de raças de cavalos brasileiras, certamente lhes vêm à mente um exímio animal que chama a atenção de todos quando passa: o cavalo campolina. 

De porte grande e musculoso, estes animais transmitem força, imponência e são considerados uma raça nobre. Aliás, o cavalo campolina é um excelente marchador. 

Além disso, eles são referência no quesito montaria, pois possuem um temperamento dócil e andamento confortável.

Por isso, sempre foram utilizados tanto para compor a cavalaria do exército, bem como para executar trabalhos rurais. 

Em 1951 surgiu a Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Campolina, que tinha como principais objetivos: definir padrões raciais, apoiar a criação e estimular o aperfeiçoamento das linhagens.  

Contudo, em 1966 a associação fechou seu livro de registros genealógicos (stud book), bloqueando novas inserções. 

Nesse post, vamos conhecer um pouco mais sobre a história do cavalo campolina e a evolução de sua raça, a fim de compreender suas características mais marcantes! Ficou curioso? 

Então, vem com a gente!

História do Cavalo Campolina

A história desta raça está ligada com um nobre fazendeiro chamado Cassiano Campolina. Criador e entusiasta de cavalos, Cassiano tinha o costume de participar das Cavalhadas. 

Esta celebração de origem portuguesa apresentava torneios folclóricos que recriavam as batalhas medievais entre mouros e cristãos.

Em 1970, esta festividade ocorreu em um município no sudeste do país em homenagem a Dom Pedro II, último imperador do Brasil. 

Derrotado em uma das disputas onde representava os critãos, Cassiano Campolina decidiu aprimorar seus cavalos para participar das próximas festividades. 

Assim que tomou conhecimento da missão do nobre fazendeiro, Dom Pedro II decidiu presentear Cassiano com uma égua que estava prenha.

Esta égua, que levava o nome de Medéia, foi acasalada com um cavalo Andaluz de origem espanhola. Deste acasalamento nasceu o potro Monarca, que se tornou um excelente garanhão precursor dos cavalos campolinas. 

A evolução do Cavalo Campolina

O principal objetivo de Cassiano era desenvolver cavalos resistentes, altos, esbeltos, rápidos e, é claro, de confortável montaria. 

Por isso, ele utilizou o garanhão Monarca, primeiro exemplar que possuía a maioria destas características, para reproduzir mais cavalos desta nova raça. 

Além disso, Cassiano Campolina fez novos cruzamentos entre éguas selecionadas com ascendentes europeus, com garanhões das seguintes raças: 

  • Puro-sangue inglês (originário da Inglaterra);
  • Mangalarga Marchador (raça brasileira);
  • American Saddle Horse (raça estadunidense) ;
  • Anglo Normando (desenvolvido no norte da França);
  • Holsteiner (cavalo de raça alemã);
  • Clydesdale (cavalo de tração de origem escocesa);
  • Oldemburgo (originário da alemanha); 

Considera-se então que todos estes cruzamentos ajudaram na constituição genética e aperfeiçoamento do cavalo campolina. 

Após o falecimento de Cassiano em 1904, seus familiares deram continuidade em seu trabalho de criação e aprimoramento da raça, que adquiriu este nome em sua homenagem.  

Características marcantes do Cavalo Campolina

Cavalo Campolina correndo em um campo verde

Os cavalos campolina, apesar de terem uma aparência suntuosa, são animais calmos e de fácil socialização.

Além disso, por serem muito inteligentes, seu processo de doma costuma ocorrer sem grandes dificuldades. 

Como citamos, os animais desta raça são de grande porte. As fêmeas costumam ter 1,52 m de altura. Já os machos têm em torno de 1,57 m, podendo chegar até 1,75 m. 

Sua pelagem é outro detalhe que chama bastante atenção, pois quando bem tratada é muito brilhante e reluzente. O que torna este cavalo ainda mais belo! 

As pelagens mais comuns de serem encontradas são a baia, alazã e castanha. Contudo, esta raça apresenta uma grande variedade de tonalidades do seu pelame, como: 

  • pampa;
  • preta;
  • tordilha;
  • lobuna;
  • rosilha;

Confira agora mais algumas características morfológicas do cavalo campolina! 

Cabeça, pescoço e crina

Esta raça possui um perfil retilíneo e a cabeça um pouco convexa.

Seu pescoço é longo e com formato de trapézio. Ambos possuem um tamanho proporcional ao restante do corpo, contribuindo para um visual harmonioso e elegante. 

Ademais, seus olhos transmitem muita vivacidade. Suas orelhas, de tamanho médio, costumam ser bem implantadas e direcionadas para cima. 

Além disso, sua crina é volumosa, lisa e macia, quando são tomados os devidos cuidados. 

Orelhas do cavalo campolina

Cernelha e dorso

A cernelha, região entre a base do pescoço e os ombros, possui boa inserção, além de ser forte e evidente. Estes atributos facilitam o posicionamento correto da sela. 

Já a região do dorso tem tamanho mediano em relação ao comprimento e a proporção, visto que este é o padrão da raça.

Lombo e garupa

O lombo dos cavalos campolinas são curtos e firmes. Além disso, sua garupa é grande, musculosa e possui uma tênue inclinação. Já as suas ancas, localizadas adiante da garupa, tem um formato mais circular e simétrico. 

Lembrando que essas características influenciam na força dos membros inferiores, bem como na potência de sua propulsão. 

Descubra agora algumas curiosidades interessantes sobre esta raça que talvez você não conheça!

Curiosidades sobre o Cavalo Campolina

  • Apesar do fenótipo baio ser considerado o predominante do cavalo campolina, houve um aumento da pelagem pampa nos últimos anos. 
  • O primeiro exemplar desta raça, conhecido como Monarca, possuía pelagem tordilha escura. 
  • A altura do cavalo, ou a cor de sua pelagem, não influenciam na qualidade da marcha. Aliás, os campolinas são considerados um dos melhores marchadores entre as raças brasileiras.
  • Além da diferença de peso e altura, os garanhões e fêmeas campolinas costumam ter medidas de garupa, dorso e cernelha, diferentes. 
  • Os cavalos campolinas possuem o tronco comprido e arqueado. Por isso, eles têm um excelente condicionamento cardiorrespiratório.
  • O estado brasileiro que mais concentra cavalos campolinas é Minas Gerais, seguido do Rio de Janeiro, Bahia e São Paulo. 

Dica🐎

Uma dica especial caso você seja um criador, ou possui grande interesse por conhecimentos mais profundos sobre esta raça, é conhecer o projeto expresso campolina

Além das visitas técnicas pelos criatórios, o projeto conta com vários cursos.

Entre eles equitação, adestramento para marchadores, morfologia da raça, avaliação zootécnica do rebanho, doma racional, manejo de haras e outros. 

Se você ama cavalos não deixe de ler também nosso artigo sobre as Raças de cavalos mais populares no Brasil.

Este conteúdo foi útil para você? 

Então, comente o que você achou deste artigo e compartilhe com os amigos que também são admiradores da raça campolina! 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima