Início » Chinchila: conheça tudo sobre este pequeno roedor
Chinchila

Chinchila: conheça tudo sobre este pequeno roedor

A chinchila é mais um daqueles animais perfeitos para se ter como bicho de estimação. Afinal, além de ser um animal extremamente limpo, ela não ocupa espaço, quase não faz bagunça e o que dirá fazer barulhos.

No entanto, para se ter uma chinchila em casa, é preciso ficar atento a alguns cuidados especiais. Tudo para que elas se sintam confortáveis e demonstrem um comportamento tranquilo ao seu lado e de outros habitantes da casa.

No artigo de hoje, descubra tudo o que você precisa saber sobre este simpático roedor! Vamos lá?

Confira as características gerais sobre a chinchila

Pequenos e bonitinhos, esses roedores têm uma pelagem macia e felpuda.

Elas podem chegar a pesar até 1,5 kg, com um comprimento que pode variar entre 23 a 38 centímetros (do topo da cabeça até o seu dorso).

Certamente se considerarmos o tamanho da cauda, esse comprimento pode se estender para até 15 cm do seu tamanho.

Além de tudo isso, as chinchilas apresentam orelhas e olhos arredondados situados em uma cabeça larga, sendo esta, uma de suas características principais.

Por terem uma pelagem macia, densa e bastante agradável ao toque, pessoas do mundo todo buscam exemplares para criá-las como animais de estimação.

Aliás, elas podem viver por até 20 anos, se forem criadas em condições favoráveis de saúde, ambiente e alimentação.

De acordo com estudos viabilizados na área, na natureza o pelo da chinchila se apresentava em um tom cinza amarelado.

Porém, por meio da criação seletiva, cores diferentes passaram a fazer parte desta espécie, tais como as famosas pelagens prata, amarelo-cinza, branco, cinza-azulado, bege e preto.

Mas observe que todos os seus pelos terminam em uma ponta com tonalidades escuras, independente de suas cores.

Ancestrais das chinchilas

Ainda vale ressaltar que os ancestrais da chinchila surgiram há mais de 40 milhões de anos, sendo estes os primeiros roedores a se proliferarem pela América do Sul.

Já no século XVIII (18), a chinchila ganhou grande notoriedade por conta de sua pele, tanto que no início do século XX (20), quase se tornou extinta.

É claro, o abate destes animais só foi controlado por conta de iniciativas de países como Bolívia, Peru, Chile e Argentina, que criaram leis que proibissem a prática.

Elas têm linhagem semelhante aos famosos porquinhos-da-índia e ao porco-espinho. Sua morfologia também é muito parecida aos coelhos, mas com orelhas menores e menos articuladas. Já as patas possuem garras finas e são extremamente fortes.

Hábitos e algumas curiosidades sobre as chinchilas

A chinchila é um roedor ativo e precisa de exercícios regulares para se manter alerta. Além disso, elas adoram explorar e observar os ambientes, e também se amaram em ficar horas atentas às sonoridades do local.

Neste sentido, vale considerar que estas espécies não devem ser mantidas presas por longos períodos. Pelo contrário, é ideal que elas sejam livres, em ambientes rurais fechados ou em casas mais espaçosas.

Isso porque, é importante observar que estamos falando de um ser sociável. O que significa que privá-la do contato com outras pessoas ou caso não receba atenção adequada, pode resultar em doenças e até mesmo a morte.

Quando em seu habitat, as chinchilas costumam viver em ambientes desérticos, tais como a Cordilheira dos Andes que traz um calor rigoroso durante o dia e um frio intenso à noite.

E é para se proteger destas temperaturas que elas se abrigam em locais subterrâneos pelas regiões montanhosas.

Sua alimentação consiste em pequenas sementes, plantas e raramente de minúsculos insetos que se tornam seus aperitivos.

Descubra os principais tipos de chinchila

Como já falamos, as chinchilas possuem uma variedade imensa de cores e de mutações.

Quando já definidas, o que pode levar cerca de até 2 anos após o nascimento do filhote, as chinchilas apresentam cores distintas e encantadoras.

Entretanto, se deseja adquirir uma chinchila com cor já acentuada, informe-se sobre as cores e genéticas do pai e mãe. Confira as principais cores:

Chinchila Safira

Chinchila Safira

Esta espécie de chinchila se apresenta numa coloração de tons em cinza-claro com partes meio azuladas em algumas regiões de seu corpo, com exceção da barriga que é inteiramente branca.

Além disso, seus olhos são bastante pretos, e também tem orelhas com pelagens de cor cinza.

Semelhante à chinchila Violeta – que falamos a seguir –, sua única diferença está em relação à tonalidade de cinza: a Safira se apresenta em tons mais azulados, enquanto a Violeta para o lilás.

Chinchila Violeta

Chinchila Violeta

Este exemplar possui uma pelagem de um cinza uniforme, exceto a sua barriga, onde a presença do branco é vasta.

Em ambientes que apresentam diferentes oscilações de luz, a Violeta pode apresentar uma pelagem em tons lilás. Essa é uma das mutações mais raras encontradas até o momento.

Chinchila Bege

Chinchila Bege

A Bege é a chinchila mais comum entre os exemplares dessa espécie, sendo bastante comercializada como animal de estimação.

Inclusive, ao que se sabe, existem 3 tipos de chinchilas bege: a heterobege, homobege e a bege.

Chinchila Homobege

Chinchila Homobege

A homobege tende para uma coloração mais clara, apresentando-se em um tom champanhe, com olhos vermelhos claros e bastante brilhantes.

Além disso, suas orelhas são completamente rosadas.

Chinchila Heterobege

Chinchila Heterobege

Este tipo de chinchila, apresenta uma coloração branca em torno de sua barriga – em contrapartida, há uma maior predominância de tons escuros de bege, se comparados às homobeges.

Já na orelha, por vezes, podem ser encontradas algumas manchas de cor cinza.

Quanto aos olhos, eles são escuros, mas é bom notar que em alguns momentos é possível confundi-los com marrom.

Chinchila Blue Diamond

Chinchila Blue Diamond

Estas são as chinchilas mais raras do mundo, além de serem as últimas catalogadas da espécie.

Ela é uma combinação de genes de Safira, Violeta e Bege, o que torna a sua busca mais limitante.

Chinchila Mosaico

Chinchila Mosaico

Normalmente, estas chinchilas se apresentam com uma coloração de cores que vão do branco, preto, bege ao cinza. São as chinchilas Mosaico que se apresentam com cores mescladas por todo o corpo.

Quais cuidados você deve manter ao comprar uma chinchila?

No geral, a chinchila é um dos animais exóticos de estimação mais fáceis de se cuidar. Inclusive, em muitos casos é possível delegar as tarefas mais básicas para que as próprias crianças possam realizar.

Mas, é importante que elas sempre sejam supervisionadas, de modo que nenhum acidente possa prejudicar a vida do animal.

A seguir, confira as principais dicas antes de adquirir uma chinchila como companheira.

1. Alimentação

Não importa qual seja do bichinho de estimação, o ideal é que sejam ministradas uma alimentação adequada, contribuindo para assegurar a sua qualidade de vida.

Afinal, são estes alimentos que ajudam a garantir o bom funcionamento do organismo. Assim como, o controle de doenças comuns e a proporcionar energia suficiente para que elas possam se sentir dispostas a praticar suas atividades.

Quando falamos sobre chinchilas, a alimentação ideal é aquela à base de alimentos considerados extrusados. Trata-se de rações balanceadas com os nutrientes e vitaminas próprias para esse tipo de animal.

A disponibilização de grãos, sementes e folhas, são aperitivos à parte e que sempre devem ser ministrados na dieta, porém, sempre com a avaliação de um médico veterinário.

Além disso, realize a limpeza diária do local onde ela faz a refeição. Restos de alimentos mofam e azedam rapidamente, o que pode desencadear uma série de doenças.

2. Higiene do animal

As chinchilas já são animais limpos por natureza, livres de quaisquer tipos de odor. Sendo assim, você terá ainda menos trabalho.

Sua higiene é feita por meio de banhos a seco, com uma substância que se assemelha à própria areia.

Esse componente é extremamente necessário, uma vez que age como desengordurante e refrescante natural, além de contribuir para a limpeza da pele e pelo do animal.

Deve-se da preferência nos períodos da manhã, com espaços que duram cerca de 10 minutos.

Aliás, observe que nenhum roedor deve ser molhado, dado o fato de que seus pelos são finos e demoram mais tempo para secar; o que também contribui para formação de doenças.

3. Saúde

As chinchilas são animais muito resistentes. Entretanto, é comum que elas apresentem alguns problemas como diarréias, problemas respiratórios e estresse causado pela temperatura do ambiente.

Para ficar longe deles, é importante manter a gaiola do seu bichinho longe do Sol, proporcionando atividades físicas e uma alimentação equilibrada.

Além disso, sempre que puder, leve o seu animal ao veterinário para fazer um check up completo – o que pode ser feito em um intervalo de 6 meses a 1 ano.

4. Cuidados com a gaiola

Além de oferecer uma gaiola espaçosa para chinchila, é fundamental que seja instalada no alto e adicionando suporte para andares e prateleiras. Isso porque que estes animais amam escalar e pular para se exercitarem.

Inclusive, coloque-a em um local onde o fluxo de pessoas não é constante, o que deixará ela mais tranquila e sossegada.

5. Aposte em brinquedos e acessórios para o seu lazer

Além de itens como bebedouro, comedouro e substrato, adicione à gaiola diferentes tipos de acessórios para ela poder se manter entretida, tais como escadas, pontes, prateleiras e balanços.

Posso comprar uma chinchila?

De fato, o habitat da chinchila é completamente diferente do que estamos acostumados em nosso país.

Entretanto, o IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), entende que assim como hamsters e até mesmo guaxinins, que já falamos aqui no blog, as chinchilas são caracterizadas como animais domésticos

Em outras palavras, estamos falando de uma criação legalizada por lei.

No entanto, é importante observar que para possuí-las, é necessária uma autorização para que o animal seja comercializado, por meio de uma loja certificada.

Desse modo, o tutor não terá que se preocupar com o registro junto a um órgão responsável, além de que, estará agindo conforme a legislação atua.

Por isso, sempre que for adquirir um animal exótico, exija um comprovante atestando que o vendedor é autorizado para este tipo de venda. Já que a legalização é um dos fatores que ajudam a acabar com os maus-tratos e o contrabando destes animais.

Afinal, quanto custa uma chinchila?

O valor de uma chinchila depende de uma variável de fatores, tais como o sexo do animal, a cor e a sua mutação.

No mais, o valor para adquirir este lindíssimo roedor, varia em torno de R$ 200,00 a R$ 700,00. É claro, levando-se em consideração que só é possível vendê-los após completarem 2 meses de nascimento.

Conclusão

A chinchila não é um animal perigoso para se ter em casa, tendo em vista a sua excelente adaptabilidade com os seres humanos.

Embora leve-se um certo tempo, este roedor pode ser facilmente adestrado. Incentivando-o a realizar determinadas ações com o estímulo de petiscos, assim que ele cumprir o que foi determinado.

É também um bom jeito de torná-lo mais dócil e também para acostumá-lo com a presença de outras pessoas. E o melhor, ele não gera muitas despesas!

Agora que você já sabe de tudo isso, que tal conferir um artigo completo sobre o tema. Leia nosso artigo sobre Animais exóticos e descubra uma variedade de outros animais para se ter em casa.

E aí, depois de tudo, já sabe qual tipo de chinchila escolher? Conta nos comentários!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima