Castração de Pet

Vantagens e desvantagens da castração de pets

A castração de pets é, muitas vezes, um ato de cuidado para com eles. Situações como abandono, por exemplo, podem ser combatidas com a prática de esterilização.

Imagine só os benefícios que a castração de cães de rua traria para os grandes centros! Animais que, hoje, se reproduzem sem controle teriam condições de vida muito melhores.

Mas não para por aí: a castração, ainda, funciona muito bem para pets que adotamos e criamos. Doenças podem ser evitadas, bem como comportamentos indesejados.

Porém, como nem tudo são flores, conversemos, agora, sobre a castração. Apresentaremos vantagens e desvantagens do procedimento na vida de nossos amigões.

Siga-me!

O que é, exatamente, a castração dos pets

Castração de Pets

Sendo um procedimento cirúrgico, muita coisa sobre a castração escapa de nosso entendimento.

Isso dá vida a uma série de mitos e confusões a respeito da prática. Muitos deles prejudiciais para a decisão consciente de castrar ou não o pet.

De modo geral, a castração de pets visa, unicamente, impedir a reprodução dos animais. As consequências devem ser pesadas. Mas o objetivo principal é este.

Normalmente, temos tantos animais de estimação quanto podemos. Quem tem um, provavelmente, não poderia arcar com os custos de outro.

Nesse caso, um descuido simples, como um portão aberto, pode resultar numa gravidez não quista. Sendo responsáveis por nossos pets, temos, também, obrigação de zelar por isso.

Assim, especialmente em gatos, a castração torna-se um ato de responsabilidade. Mesmo que o pet não tenha acesso à rua, outros animais podem conseguir entrar em sua casa.

Contudo a castração traz outras vantagens interessantes tanto para o animal quanto para o proprietário.

Sangramentos, em fêmeas, e marcação de território, nos machos, acabam ou diminuem drasticamente.

Além disso, há certas alterações comportamentais vantajosas para o animal. Pois tanto o processo de cio quanto um parto são muito desgastantes, física e emocionalmente.

Uma fêmea, em casa, num cio, perde o interesse pela comida e se estressa muito. Um macho pode se descontrolar, ao sentir uma fêmea fértil passando em frente à casa.

Por esses e outros motivos, a castração, ao tirar ou reduzir a libido do animal, contribui para sua saúde.

Principais vantagens da castração de pets

Aqui, falaremos, especificamente, de alterações práticas na vida do pet após a castração. São efeitos secundários, ligados à prática, que podem ou não acontecer.

Isso porque a resposta do pet ao procedimento depende de seu organismo. Individualmente, cada bichinho reagirá a seu modo, e seu organismo também.

Falemos de cada um individualmente.

Mudança comportamental após a castração

O primeiro grande aspecto da castração é a mudança comportamental. O pet, após o procedimento, ganha um aspecto mais sedentário, além de ter mais apetite.

Essas mudanças ocorrem pela interrupção da urgência em procriar. É sabido que todo animal segue o instinto natural de manter sua espécie existindo.

Contudo, ao retirar esse gatilho de sua vida, essa urgência silencia. O animal foca-se em outras atividades, como seu próprio bem estar e prazer alimentar e do descanso.

Todavia é um engano comum e grave acreditar que a castração reduz agressividade. Isso não acontece e, ainda, é possível que o animal fique ainda mais agressivo.

Acontece que agressividade não faz mais parte da vida dos bichinhos. Desde a domesticação, eles, naturalmente, são dóceis e confiáveis em sua relação com seres humanos.

Um cão ou gato violento está, na verdade, reagindo ao meio. Isso significa que sua agressividade é uma resposta a maus tratos ou abandono.

Não sendo seus impulsos sexuais a causa da agressividade, a castração não resolverá o problema. Policie-se e descubra onde você está errando. A culpa, de certo, não é do animal.

Fim dos períodos de cio

Essa consequência da castração é maravilhosa tanto para o pet quanto para nós. Quem possui uma gata fértil sabe do sofrimento das madrugadas, durante o cio.

Com a castração, os ciclos de cio são interrompidos. As cadelas não mais apresentam o sangramento; e as gatas param de miar e tentar fugir.

Esse fator contribui para um organismo mais saudável e um comportamento mais dócil. As perdas de pelo e peso, por consequência do estresse, diminuem drasticamente.

Além disso, sem os cios, o volume de fugas decai. Diminui-se, assim, os riscos de atropelamento, envenenamento, sequestro e roubo.

Com o animal em casa, ainda ganhamos sua companhia frequente. Nada é tão prazeroso quanto a tranquilidade de saber que estão seguros. Não é mesmo?

Redução do risco de alguns cânceres comuns

O corpo dos animais desenvolveu-se para a procriação. Quando um animal fértil não procria, seu corpo não está funcionando como deveria.

Assim, o câncer de próstata, ovários, mamas e útero deixam de ser um medo. Com quase totalidade da extinção de seu risco, os animais vivem mais e melhor.

Desvantagens da castração de Pets

Entretanto é muito importante ter em mente, também, as desvantagens da castração. Só assim você poderá julgar e decidir se fará ou não o procedimento em seu pet.

Riscos operatórios

Castração é cirurgia. Lembre-se sempre disso. Envolve sedação, corte, cicatrização e uma série de medicamentos.

Após a cirurgia, o animal poderá passar várias horas — senão dias — sedado. Quanto menor for, maior o tempo que permanecerá sob efeito do medicamento.

Durante este tempo, cabe a você vigiar o retorno à sanidade de seu pet. Você deverá garantir que não se asfixie ou se fira, num eventual vômito ou convulsão.

Além disso, alguns sedativos afetam, também, as pálpebras. Pelo tempo de inabilidade do animal, elas precisam ser constantemente hidratadas.

Se o cuidado não for dado, o animal pode perder completamente a visão. Por isso, agende a castração apenas se tiver disponibilidade de monitorar o animal. Não o deixe sozinho!

No mais, deve-se ponderar os riscos da sedação. O animal pode apresentar rejeição ou adquirir sequelas, após o procedimento.

Deve-se investigar, com o veterinário, a saúde cardíaca do animal antes de qualquer coisa. Ninguém quer colocar a vida do amigão em jogo, não é?

Sobre os medicamentos, deve-se seguir, à risca, todas as orientações. Tenha em mente os perigos implícitos na administração dos medicamentos em animais grandes e fortes.

Tendo uma fêmea de grande porte, certifique de conseguir acesso à cicatriz. A assepsia é imprescindível, e deve ser feita frequentemente.

Por fim, se o animal tiver acesso aos pontos, o risco de evisceração é altíssimo! Garanta, por cones e trajes especiais, que o animal jamais tenha contato com o corte.

Descontroles hormonais e de crescimento

A depender da técnica utilizada, a castração poderá resultar em problemas hormonais. Hipotireoidismo e depressão são recorrentes, se o procedimento for invasivo demais.

Ocorre que a retirada total do sistema reprodutor priva o animal do balanço orgânico. Machos, sem os testículos, sofrerão perda muscular. O resultado pode ser comportamento apático.

Ainda, a castração de animais muito jovens gera complicações permanentes. Machos podem sofrer crescimento exacerbado; fêmeas, por sua vez, incontinência urinária.

Risco de obesidade e problemas renais

Com o aumento do apetite e o sedentarismo, a alimentação dos pets deve ser cuidada. Refeições gordas e ausência de exercícios levarão à obesidade do animal.

Além disso, animais castrados devem possuir uma dieta de acordo às suas necessidades. Sódio e potássio em desiquilíbrio resultam em complicações renais. Elas podem ser letais!

Maior propensão a câncer dos ossos e dos vasos

A castração também predispõe o animal a dois tipos de câncer: dos ossos e dos vasos sanguíneos.

Todos esses fatores devem ser medidos e calculados antes de optar pela castração. Consulte o veterinário e esclareça qualquer particularidade de seu animal, tudo bem?

Castrar ou não castrar: eis a questão

Apresentamos a você uma série de vantagens e desvantagens da castração de pets. Porém sabemos como é difícil colocar tudo na balança e decidir.

Assim, para finalizarmos, proponho uma série de perguntas a você. Responda-as com sinceridade, sempre pensando no bem estar do seu bichinho. Vamos lá?

  • Seu pet tem risco de engravidar(-se)?: se macho, ele tem acesso a outras fêmeas? Sendo fêmea, há risco de ter contato com machos?
  • Você estaria disposto a monitorar ininterruptamente o pós-operatório?
  • Dietas especiais seriam uma questão tranquila para você durante toda a vida do pet?
  • Está ciente dos riscos?
  • Cuidaria do seu bichinho se algo desse errado?
  • Jamais o abandonaria?

Se as respostas forem positivas, provavelmente a castração seja viável, para seu pet. Converse com o veterinário e agende o procedimento de seu amigão.

E então? O que achou? Qual sua experiência com castração animal? Como está seu bichinho hoje, após a cirurgia?

Compartilhe conosco suas experiências e dúvidas. Será um prazer ajudar você nesta grande questão.

Agora, divida esses conhecimentos com seus contatos virtuais. E esteja sempre por aqui. Nosso compromisso é ajudar você a dar o melhor para seu pet.

Volte sempre, pet lover!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *